Mariana: história e beleza em Minas Gerais

Mariana

O Pelourinho, tendo ao fundo as igrejas de São Francisco de Assis e do Carmo

Mariana foi a primeira capital da capitania das Minas Gerais e é uma das joias preciosas do circuito histórico do Estado. Ligada a Ouro Preto pela velha ferrovia, a cidade é coalhada de casas e igrejas dos séculos XVII e XVIII. E um prato cheio para quem procura beleza e história entre um cafezinho e pão de queijo.

Como todas as cidades da região central de Minas Gerais, cresceu e enriqueceu às custas da extração do ouro. A riqueza ganhou forma nos suntuosos altares e fachadas das inúmeras igrejas. Também no casario repleto de adornos e sacadas de pedra sabão, ricamente decorados.

Leia mais sobre as cidades históricas de Minas Gerais no blog

Em 1720, Mariana perdeu o posto de capital da província para Vila Rica (atual Ouro Preto), mas seu orgulho não seria abalado: no ano de 1745, o Vaticano transformou Mariana em sede do bispado, o que significou uma emancipação da Diocese do Rio de Janeiro. Essa elevação eclesiástica alavancou as obras religiosas, que já caminhavam em ritmo intenso.

Prédios históricos

Mariana

A Rua Direita concentra a maior parte do casario histórico

O centro de Mariana é um dos mais importantes sítios históricos da cidade. É ali que está situada a famosa rua Direita, repleta de sobrados elegantes, construídos com o traçado digno das melhores residências portuguesas da época. A maior parte dessas habitações conta com sacadas talhadas em ferro ou pedra-sabão nos andares superiores. Entre os principais prédios da rua Direita estão a Casa do Barão de Pontal e a antiga residência do poeta Alphonsus de Guimaraens, hoje transformada em museu.

Ao lado da rua direita está a praça da Matriz, com mais uma sequência de residências históricas e a Catedral de Nossa Senhora da Assunção, construída em 1704 e que abriga o Órgão Arp Schnitger3, também do início do século XVIII, único exemplar remanescente fora da Europa.

Um ponto de visitação obrigatório da cidade é a Praça Minas Gerais. É ali que se encontram as igrejas do Carmo e de São Francisco de Assis, dois belíssimos templos barrocos inaugurados ao final do século XVIII. A primeira igreja sofreu um grave incêndio em 1999, que destruiu várias imagens criadas no auge do Ciclo do Ouro. Somente o altar-mor, construído em estilo rococó, foi poupado das chamas.

As duas igrejas estão lado a lado. Já se perguntou por que as cidades históricas possuem tantas igrejas, e tão próximas umas das outras? Nós esclarecemos o fato em nossa postagem sobre São João Del Rei.

Em frente a esses dois templos está a Câmara Municipal, antiga Casa de Câmara e Cadeia. Todo construído em pedra e alvenaria (coisa rara na época), o edifício mantém muito de sua arquitetura original e abriga ainda obras de arte como quadros representando a família real portuguesa e os imperadores do Brasil. O Pelourinho situado à frente é uma cópia, inaugurada em 1970, do antigo local de castigos dos escravos, e que foi demolido em 1871.

Mariana

A antiga Casa de Câmara e Cadeia ainda preserva detalhes da fundação, no século XVIII

Nos arredores
Mariana é formada por uma série de pequenos distritos a pequena distância. A maior parte deles também conta com edifícios históricos dos séculos XVII, XVIII e XIX, além de trilhas e cachoeiras que vão fazer a alegria dos aventureiros. Entre os distritos mais interessantes estão Passagem de Mariana, Furquim e Monsenhor Horta.

Mesmo quem não tem o espírito de trilheiro pode aproveitar um dos programas mais bacanas de Mariana: a Mina da Passagem, a maior mina de ouro aberta ao turismo do mundo, com 315 metros de extensão e 120 de profundidade e que conta inclusive com um intrigante lago natural, pode ser vista a bordo de um trolley, pequeno vagão utilizado para o transporte dos minérios. Informe-se sobre o passeio, liberado inclusive para a criançada, no site oficial.

TEXTO: FÁBIO MENDES
FOTOS: ÉRICA FRANÇA E FÁBIO MENDES

Reserve seu hotel pelo Booking com o Viajante em Tempo Integral. Clique AQUI. 

Faça seu seguro-viagem com o VTI! Quer um desconto exclusivo do blog? Clique AQUI e insira seu cupom de desconto ao fazer a pesquisa: TEMPOINTEGRAL5.

Related Post

15 thoughts on “Mariana: história e beleza em Minas Gerais

      1. Maria da Conceiçao

        Estou procurando um lugarzinho pequeno,com poucos habitantes,tranquilo,fresco e ideal pra morar,pra quem quwr sair das grandes cidades barulhentas. Pode me ajudar?

        1. Fábio Mendes Post author

          Olá, Maria. O que não falta no Brasil são lugares como esse. Aqui nós damos dicas de viagem, muitas vezes contemplando algumas dessas cidades. Mas são recomendações para passeios. Para morar, só mesmo visitando os lugares e conhecendo melhor. Abraços.

  1. Gislene Amorim

    Nao entendo! Quando estudava na década de 90 li um livro que fala que é Mariana a primeira capital. Questionei na escola pq ensinam que é Ouro Preto e levei o livro para professora de não soube explicar. Sempre escuto essa mesma história. Se é Mariana pq as escolas ensinam errado?

    1. Érica França

      Poxa, Gislene. Só consultando um historiador. Durante a visita à cidade, ouvimos do guia e lemos em alguns documentos que a cidade foi a primeira vila e capital do Estado.

    2. Débora

      Oi Gislene! Engraçado vc falar que ensinam nas escolas que Ouro Preto foi a primeira capital. Eu sou de Belo Horizonte e sempre aprendi que a primeira foi Mariana, depois Ouro Preto e depois BH. Nunca tivemos dúvidas quanto a isso. As vezes é especifico da escola onde vc estudou. Vale dar uma informada a eles. Abraços!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial