Faça a sua viagem, não a dos outros

como viajar

“Mas como assim você foi pra Veneza e não andou de gôndola?”

É inevitável: você volta de viagem e vai todo animado contar à família ou aos amigos sobre o passeio fantástico que fez nas férias ou no feriadão. Mas o entusiasmo se transforma em decepção logo nos primeiros instantes, quando começam a vir os sermões de como viajar. Basta você falar que foi ao Rio de Janeiro, por exemplo, para alguém perguntar se você foi ao Pão de Açúcar, ao Cristo ou qualquer outra atração mais famosa. E ai de você, se não tiver ido:

– Nossa, mas como assim você não foi lá? Tem de ir!
– Não foi? Mas que viagem é essa que você fez?
– Ah, não foi? É como ir a Roma e não ver o papa!

 

Viaje com seus filhos: qualquer lugar pode ser adequado

22 filmes no Netflix para quem ama viajar

Faça das viagens a sua prioridade máxima!

 

Se você costuma se irritar com esse tipo de pessoa, prepare-se para encarar um interlocutor ainda pior: o viajante descolado. Ele já foi 15 vezes a Paris, mas nunca passou perto do Louvre ou da Torre Eiffel. Se você contar a ele que andou de bondinho no Rio ou de gôndola em Veneza, ele fará cara de nojinho. E com um ar superior, desfiará uma lista de bistrôs alternativos, museus desconhecidos e passeios inusitados dos quais você nunca ouviu falar. Em suma: mais um para dizer como viajar.

A grande verdade é que os amigos e parentes adoram dar pitacos nas nossas viagens. Se você for para as montanhas e não para a praia no Carnaval, eles te olharão como se você fosse um extraterrestre. E por aí vai.

Não se sinta cobrado

como viajar

Viajar sozinho? Com crianças? Com cachorro? Por que não?

O problema é quando esse tipo curioso de dica ou recomendação se transforma em cobrança, passa a ganhar corpo e relevância, fazendo com que você mude planos ou altere itinerários, mesmo que inconscientemente. E isso é mais frequente do que se imagina.

Já ouvi vários relatos de pessoas que não pretendiam visitar uma determinada atração turística, durante a viagem, porque o tempo e/ou o dinheiro era curto. Ao voltar de viagem, confessaram que acabaram fazendo o tal passeio porque “todo mundo faz” ou “não tinha como não ir lá. Vai parecer que não viajei”.

O efeito colateral imediato desse tipo de comportamento é uma insatisfação crescente. Você gasta tempo e dinheiro preciosos para relaxar e se divertir em uma viagem, mas volta com a sensação de que não fez o que queria. E no final das contas, acaba desperdiçando momentos importantes (talvez únicos) de sua vida.

Como viajar?

como viajar

Faça aquilo que você mais gosta, sem medo de ser feliz e pagar mico

Por isso, quando for programar sua próxima viagem, lembre-se dessa recomendação como a mais importante de todas: faça a sua viagem, não a dos outros. Você saberá como viajar de uma maneira que satisfaça a você e às pessoa que te acompanharão.

Não importa se você vai fazer o que todo mundo faz ou se seu passeio é alternativo e diferente da maioria. Tenha em mente que cada viagem é uma experiência particular, e ela mudará conforme seus objetivos, suas necessidades ou suas possibilidades.

A sua Paris jamais será a mesma dos seus pais, dos seus amigos ou colegas de trabalho. E nem precisa ser. Os seus desejos e expectativas são frutos da sua vivência e do seu repertório e, portanto, é quase impossível que seu roteiro ideal seja o mesmo de outra pessoa.

Da mesma forma, sua disponibilidade de tempo e dinheiro será diferente do de outras pessoas, e isso contará muito no final. Você pode até coletar dicas, palpites e recomendações de outras pessoas ou de especialistas. Muitas delas são interessantes e podem lhe ajudar muito na viagem. Mas lembre-se: a decisão final é sua e das pessoas com quem vai viajar. Só o seu livre arbítrio fará com que seu próximo passeio seja inesquecível!

FOTOS: FÁBIO MENDES, ÉRICA FRANÇA E DIVULGAÇÃO

Related Post

30 thoughts on “Faça a sua viagem, não a dos outros

  1. Elizabeth Paes

    Viajar é tudo de bom! E com certeza para mim, sempre será de coração aberto!
    Adorei as dicas! Abraços!

    1. Fábio Mendes Post author

      Obrigado, Simara. Continue lendo nossos posts que sempre temos umas dicas interessantes, também para um destino específico quanto para viagens em geral. Abraços!

  2. Erika

    Oie, tudo bem? Fazer uma viagem exige planejamento, ainda mais se queremos aproveitar diversos pontos turísticos, fotografar, experimentar comida diferente. O certo é pensar bem antes, para aproveitar da melhor forma possível. Ótimas dicas. Beijos, Érika ^-^

    1. Fábio Mendes Post author

      É isso mesmo, Erika. O planejamento é fundamental. Assim como fazer o tipo de viagem que você gosta, aproveitando ao máximo. Beijos!

  3. Flávia Donohoe

    que artigo interessante Fábio, eu penso da mesma forma, como são chatos os parentes que dão pitaco na sua viagem. Eu sempre tento fazer o que faço na minha cidade em viagens, às vezes faço passeios turísticos, nada como olhar a ótica dos outros, concordo em muito com vocês. abraços

  4. Eliana C. Pereira

    Adorei o post!!! Concordo plenamente com você!!! Quem faz a viagem é a pessoa e não o lugar… Ninguém é obrigado a fazer as mesmas coisas que todo mundo… Eu, por exemplo, se gosto muito de uma cidade, largo sempre alguma atração importante para trás para ter motivo para voltar àquela cidade… E não me culpo por isso…

    1. Fábio Mendes Post author

      A gente faz de tudo em uma viagem: visita atração conhecida, outras mais alternativas… fazemos o que dá na telha e sempre aproveitamos muito bem. E também deixamos algumas coisas para as próximas visitas. Obrigado pelo comentário!

    1. Fábio Mendes Post author

      Nossa, entendo perfeitamente! Eu e a Érica sempre ouvimos isso. E quando vamos a algum lugar, sempre nos perguntam: “Mas esse lugar é bom pra criança?”, como se a gente estivesse levando uma criança para alguma roubada. Abraço!

  5. Juliana Moreti (www.turistando.in)

    Ótimo post-desabafo!
    hahahahaha

    Acho que desse bichinho eu não fui picada!
    Pode até ser que eu tenha recebido (ou dito) esses tipos de “pitacos”, mas nunca entrou como cobrança!
    Até porque, minha família é humilde e meus amigos não tao idiotas (rs – E os que sao idiotas, a gente ignora).

    Eu não andei de gondola, não subi na Eiffell, não entrei no Colosseo (mas sem querer vi o Papa em Genova – rs), não subi na torre de TV de Berlim, fui no bondinho, mas não fui no Cristo e diria que, se a pessoa me der um pitaco malicioso, recebe uma resposta tao maliciosa quanto!
    hahahahaha

    1. Fábio Mendes Post author

      De vez em quando a gente precisa desabafar. Hahahahahahahahahaha

      Acho muito legal receber dicas de viagem, mas sempre tem um sem noção que viaja na maionese. Eu levo numa boa, mas já vi gente mudar a viagem por conta desse tipo de coisa.

      Quando fui pro Vaticano, o Papa estava fora da Itália. Seria curioso vê-lo em outra cidade italiana. Você deu sorte (ou não)!

  6. Luciana

    Concordo em gênero, número e grau. Cada pessoa tem um estilo, gostos únicos e deve aproveitar as viagens de seu modo. Gastamos muito dinheiro e energia em uma viagem para não fazer o que gostamos. Adorei o post

    1. Fábio Mendes Post author

      Exatamente, Luciana! Investimos muito em uma viagem para que ela não seja feita como desejamos. Obrigado pelo comentário! 🙂

  7. Gisele Ramos

    Que texto maravilhoso!

    Confesso que ando meio irritada com os pitacos de viagem, todo mundo quer dizer o que você deve ou não fazer, mas pagar a parcela da passagem ninguém ajuda, né não? rs

    1. Fábio Mendes Post author

      Obrigado, Gisele.

      Realmente, alguns pitacos incomodam bastante. O importante é saber filtrar as dicas e não deixar que elas mudem a sua viagem. Abraços!

    1. Fábio Mendes Post author

      Pois é, Edson. Às vezes gente se esforça tanto para fazer uma grande viagem e acaba deixando de lado o primordial. Abraços!

  8. Pedro

    Concordo! A gente já se cobra tanto, tenta fazer uma boa viagem e ainda ter que ouvir “como assim, você foi em X e não fez Y?”. Cada qual viaja à sua maneira!

    1. Fábio Mendes Post author

      Exatamente, Pedro! Já não basta a nossa própria cobrança e ainda tem de ouvir dessas coisas. Mas a gente vai sabendo filtrar. Abraços!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial