Rio de Janeiro e seus encantos: gostar ou não gostar, eis a questão

Enfim fui ao Rio de Janeiro, em outubro passado. Tinha vergonha de morar em São Paulo e nunca ter ido aqui ao lado, no destino que mais atrai estrangeiros ao país. Como eu não conhecia o Cristo, mas já tinha ido à Estátua da Liberdade? Era descabido. Em terras cariocas, fiz questão do pacote turista-completo com visitas ao Cristo, Maracanã e Pão de Açúcar.

Se eu gostei do Rio de Janeiro e seus encantos? É claro. É impossível não gostar da cidade que é assim tão maravilhosa. Se eu me apaixonei pelo Rio de Janeiro? Não. Se eu quero voltar logo para o Rio de Janeiro? Também não.

Não é rebeldia da minha parte, fiquem tranqüilos. Mas eu esperava mais do Rio. Manoel Carlos atrapalhou meu julgamento. Na verdade, eu esperava mais dos cariocas. Sempre soube da rixa que há entre paulistas e cariocas, mas não imaginei que ela fosse tão forte a ponto de comprometer a minha primeira experiência por lá.

Há explicação para tudo e levo em conta fatores diversos. Preciso dizer que no meu final de semana no Rio (de 31 de outubro a 2 de novembro) peguei chuva e apenas um dia de muito sol. É notável a diferença dos cariocas nos dias nublados e nos dias ensolarados. Eles não são fãs de chuva, fecham a cara, não saem de casa.

Mas o que senti não foi apenas mau humor por conta da chuva, mas uma certa animosidade pelo fato de eu ser paulista mesmo. Senti isso com taxistas (sim, eles são sempre mau-humorados), com cobradores de ônibus e atendentes de padarias e restaurantes.

Fiquei frustrada. Eu queria ter me apaixonado pelo Rio e ter aquele sentimento de que não há melhor lugar no mundo.

Mas, em uma análise menos emocional e mais fria, digo que o Rio é sim maravilhoso e merecedor de todos os adjetivos que lhe endereçam. O turismo, no entanto, pode melhorar muito na cidade maravilhosa, que deve, por sua fama e beleza, figurar entre as 5 que mais atraem turistas no mundo – em 2006, era a 35º da lista.

Espero que com mais investimento em segurança pública, educação, infraestrutura, saúde (não apenas investimentos ao turista, mas à população), a cidade chegue a este patamar e eu consiga, em uma próxima tentativa, me apaixonar pelo Rio.

Para apaixonados e para os nem tanto, muitos passeios são válidos:

Maracanã – A visita a um estádio fala muito mais da história do País do que apenas de futebol. Experiência recompensadora. E dá aquela pontinha de ufanismo de ter nascido brasileira. (Preço: R$ 20 estádio e R$ 8 museu)

Rio de Janeiro e seus encantos

Maracanã: para fãs e não fãs de futebol

Cristo – Não posso falar da vista lá de cima, porque o tempo estava nublado (pena!). Mas posso dizer que ver o Cristo (quando as nuvens se afastaram, ele se abriu para mim e para os presentes) é extremamente emocionante. (Preço: De trem, R$ 36 ida e volta)

Pão de Açúcar – Sem dúvida, uma vista maravilhosa, tanto do morro da Urca como do Pão de Açúcar. Os parques ali em cima merecem ser visitados com tempo. Há calangos e sagüis passeando pelo local, prontos para uma boa foto. Mas devo dizer que fiquei triste de ver que a Baía da Guanabara é tão poluída. É preciso evitar que o problema aumente. (Preço: R$ 44 até o Pão de Açúcar; moradores do Rio de Janeiro pagam meia-entrada)

Rio de Janeiro e seus encantos

Vista maravilhosa a partir do Pão de Açúcar

Santa Tereza – Fui ao local de bondinho e adorei tanto o bairro quanto a experiência de andar de bonde. Acredito, no entanto, que a segurança deste bonde deve ser trabalhada, independentemente do preço da passagem. E o bondinho, na volta, quebrou em cima dos Arcos da Lapa. Não foi muito agradável descer ali, olhando pra baixo, e ter de terminar o caminho pelos trilhos. (Preço: R$ 0,60)

UPDATE: APÓS UM GRAVE ACIDENTE, QUE RESULTOU EM VÁRIAS MORTES, O BONDE FOI DESATIVADO, SEM PRAZO PARA RETOMADA DAS ATIVIDADES

Rio de Janeiro e seus encantos

Aventura barata e não muito segura

Lapa – Concentração de bares, com fachadas históricas e simpáticas. Um ótimo programa para quem é da noite ou gosta de um bom boteco.

É claro que esta lista não pretende ser um guia, até porque os pontos enumerados são conhecidos por todos como pontos obrigatórios do Rio de Janeiro. A idéia é apenas dizer que o Rio vale sim a visita sempre. Só acredito que possa melhorar bastante ainda para que o turismo só venha a crescer e a cidade possa ser orgulho não apenas dos cariocas, mas dos brasileiros.

TEXTO E FOTO: ÉRICA FRANÇA

Leia mais sobre o Rio de Janeiro no blog

5 thoughts on “Rio de Janeiro e seus encantos: gostar ou não gostar, eis a questão

  1. kikafranca

    Acho que vou criar umas camisetas com frases do tipo: “Deixei meu coração no Rio. E minha carteira também”.

    Texto sensacional. Sucinto, diz tudo sobre a cidade. E o pior de tudo é que fomos ao Rio cheios de boa vontade e loucos pra gostar de lá. Se nem assim nos agradou…

  2. Pingback: Estádio Centenário para quem não é fã de futebol « Viajante em tempo integral

  3. Pingback: Rio de Janeiro: Forte de Copacabana | Viajante em tempo integral

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial