Parques de Curitiba: qual o seu preferido?

Parque Tingui em dia de chuva

Cada etnia ou população que colaborou para a formação e desenvolvimento da cidade de Curitiba merece, como recompensa, um parque.

E quem ganha com isso, além de todos os homenageados – ucranianos, alemães, poloneses, o próprio papa João Paulo II, os índios tingui, entre outros – é a população curitibana e os visitantes desta cidade encantadora. Os parques de Curitiba são numerosos. E também belos e bem planejados.

Interessante notar que muitos parques de Curitiba ocupam áreas que eram degradadas, fosse uma pedreira ou uma indústria. Em vez de um passivo ambiental para a cidade, as áreas se transformaram em lugares de lazer e turismo. Esta foi uma grande sacada dos governos de Curitiba – ideia a ser seguida em tantas cidades que conhecemos.

A vontade que dá é ficar na capital paranaense até conhecer todos os parques. Como não foi possível desta vez, o importante é se planejar para voltar ao município e conhecer parque a parque…faltam tantos ainda.

Um dos mais interessantes é o Parque Tingui, onde está o Memorial Ucraniano, réplica da Igreja de São Miguel, a mais antiga igreja ucraniana do Brasil, situada na cidade de Mallet, no Paraná. O ponto é uma das paradas da Linha Turismo.

Réplica de igreja ucraniana ao fundo

O parque também é lindo, arborizado, com lagos, área para a prática de esportes e muito verde.

Outros parques a serem visitados – e que são pontos de parada do ônibus de turismo – são o Parque Tanguá, o Bosque do Papa, o Parque São Lourenço e o Barigui. Ah, claro, sem falar do Jardim Botânico, assunto para outro post.

Vista da entrada do Memorial Ucraniano – vista privilegiada de alguns moradores da região

TEXTO: ÉRICA FRANÇA
FOTOS: FÁBIO MENDES

Veja também:

Linha Turismo em Curitiba

Ópera de Arame

Pedreira Paulo Leminski

Jardim Botânico

Museu Oscar Niemeyer

Torre Panorâmica

Paço da Liberdade

One thought on “Parques de Curitiba: qual o seu preferido?

  1. Fábio Mendes

    Foi uma bela surpresa ver a imensa quantidade de parques e, mais que isso, a origem dos locais que se transformaram em parques. Como você mesma disse, um exemplo a ser seguido

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial