Avenida Paulista: Parques e verde no meio da Selva de Pedra

A cidade de São Paulo também é  conhecida como a Selva de Pedra. Dá para entender o porquê ao caminhar pela avenida Paulista, um dos cartões-postais da cidade. São prédios e prédios até onde a vista alcança. Há edifícios antigos, que remontam aos tempos dos barões de café (infelizmente, são poucos), há outros modernos, de arquitetos famosos ou nem tanto.

Caminhar por entre eles com o pescoço levantado, olhando para o alto, é um exercício interessante. A gente descobre formas diferentes e percebe alguns apartamentos com as luzes acesas em um noite movimentada ali embaixo. E eu, pelo menos, fico imaginando como será morar por ali, com todo aquele burburinho e efervescência cultural.

Mas caminhar por ali também pode dar uma certa fobia. É muito concreto, cimento, pedra, tudo cinza. E pode faltar o ar.

O grande barato da Paulista é que, nos dias em que o ar faltar, e você tiver com saudade de verde e barulho de passarinho, você não precisa ir longe. Dá para encontrar um refúgio a poucas quadras de onde você tiver. A avenida mais famosa de São Paulo também tem seus parques, cantos verdes que convidam a uma agradável visita.

Parque Tenente Siqueira Campos (Parque Trianon)

parque

Incrustrado na Paulista, em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp), o Parque Trianon como é conhecido tem espécies remanescentes da Mata Atlântica, além de dezenas de espécies de pássaros. O parque tem 48.600 metros quadrados, por onde você pode fazer trilhas, passeios ou apenas descansar.

Pelo parque, há diversos bancos espalhados, a maioria sob a sombra das árvores. São lugares ideais para você sentar e ler um livro, se transportar para um mundo onde não há prédios, carros e todo este burburinho.

O parque conta ainda com playground e pista de caminhada.

Curiosidade: No início da década de 1910 foi construído, no local onde hoje se localiza o Masp, um belvedere com projeto do arquiteto Ramos de Azevedo, que ficou conhecido como Trianon. Durante as décadas de 1920 e 30, freqüentados pela intelectualidade paulistana, o parque e o belvedere transformaram-se em símbolo da riqueza da elite paulistana e formavam um harmonioso conjunto integrado.

Endereço: Rua Peixoto Gomide, 949 – Cerqueira César – Centro – São Paulo (Metrô Trianon – Masp)

Horário de funcionamento: De segunda a domingo, das 6h às 18h

Grátis

Parque Mário Covas

parque

Em 2010, São Paulo ganhou um belo presente de aniversário, no dia 25 de janeiro: um novo parque na avenida Paulista, o Parque Mário Covas.

Na esquina com a alameda Ministro Rocha de Azevedo, o parque tem mais de cinco mil metros quadrados. Sua localização é ótima para quem está passeando pelo Conjunto Nacional ou curtindo as opções culturais da rua Augusta.

No local, há bicicletário, sanitários e uma Central de Informações Turísticas. Com bancos para uma leitura e árvores na parte do fundo, é uma opção para um descanso no meio do passeio.

Endereço: Avenida Paulista, 1853 – Jardim Paulista

Horário de funcionamento: diariamente das 6h às 18h/ 7h às 19h (no verão)

Grátis

Casa das Rosas

parque
No post anterior, já falamos da Casa das Rosas, como um local onde se pode ver exposições e fazer cursos, além de observar a arquitetura histórica da região.

Mas a Casa das Rosas também conta com um jardim amplo e cheio de rosas. Dá para passear entre as flores ou sob elas e a sensação é ótima. Por alguns momentos, você consegue se desligar da agitação paulistana e se imaginar no filme O Jardim Secreto.

Endereço: Avenida Paulista, 37 – Paraíso – Centro – São Paulo (Metrô Brigadeiro)

Horário de funcionamento: De terça a domingo, das 10h às 18h

Grátis

ÉRICA FRANÇA
Fotos: Parque Trianon (Caio Pimenta/SP Turis); Casa das Rosas (site da Casa); Parque Mário Covas (site Cidade de São Paulo)


Leia mais sobre São Paulo

3 thoughts on “Avenida Paulista: Parques e verde no meio da Selva de Pedra

  1. William Haddad

    Parque Tenente Siqueira Campos (Parque Trianon)
    esse parque é lindo…conheço-o desde criança. lugar aprazível…estilo francês. um oásis,
    mas alerto que caminhar por ali. se vc é homem é ser confundido com um cliente de garotos de programa que ali fazem ponto…inferno na terra e se vc é jovem poderá ser interpelado por algum garoto de programa achando que tu tá querendo os clientes dele…vai vendo

    1. Érica França Post author

      William, isso é de fato uma pena e um problema social a ser resolvido. Tenho a mesma sensação com o Parque da Luz. Na minha opinião, é um dos parques mais lindos de São Paulo. Mas, infelizmente, não é aprazível se caminhar por ali, justamente por conta de drogas e prostituição. Me deixa muito triste.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial