Palazzo Ducale, em Veneza, garante suntuosidade a cada metro quadrado

Palazzo Ducale

O Palazzo Ducale merece muito mais que uma “passadinha rápida”

Os livros de história (e mais atualmente, as séries de TV) mostram Veneza como uma potência econômica e militar em séculos idos. Tudo isso, obviamente, se converteu em riqueza, mas nem sempre é possível observar na cidade atual o luxo advindo do poderio de outrora. Experimente, então, visitar o Palazzo Ducale, na praça San Marco.

Este prédio, construído entre os séculos XIV e XV, sintetiza todo o poder da república que, em seu apogeu, dominou as principais rotas comerciais do Mediterrâneo e das Índias. Percorrer os corredores e salas do Palazzo Ducale é se deparar com um mundo sem fim de tapeçarias, utensílios de ouro, afrescos e quadros a óleo esplendorosos.

O Palazzo Ducale era a moradia do doge (duque), o governante máximo da Sereníssima República de Veneza. Também era a sede do Ducado e abrigava todos os principais gabinetes administrativos. Hoje, abriga um museu espetacular.

Leia mais:

Milão: guia básico para viajantes
Veneza para iniciantes: o guia completo
Como visitar grandes museus em viagens com crianças
Sete dicas para economizar na Itália

Preços e reservas

Palazzo Ducale

Luxo, poder e riqueza estão expostos em cada detalhe do Palazzo Ducale

Para quem vai ao Palazzo Ducale pensando em “dar uma passada rápida”, um aviso: ele é imenso e com tanta riqueza de detalhes que uma boa visita exige ao menos três horas. Perder quatro horas em seus corredores não só é possível como o ideal se você não quiser perder nada.

Como todas as principais atrações de Veneza, o Palazzo Ducale vive cheio de gente. Por isso, é imprescindível se programar. O ideal é reservar online. A entrada cheia custa 16,50 e a reduzida (para crianças de 6 a 14 anos e estudantes de 15 a 24 anos) sai por 10,50. É preciso fazer um cadastro, mas vale a pena, pois adquirir online lhe fará fugir das filas imensas.

Para os mais curiosos, há ainda a opção de fazer os “itinerários secretos”, com o lado obscuro do Palazzo Ducale. Aqui você terá acesso aos “poços”, celas muito mais inóspitas e insalubres que as encontradas na chamada Prisão Nova. Você desce por um sótão e chega a locais como a Sala dos Inquisidores e a infame Sala da Tortura. Por fim, há o acesso à Chancelaria Secreta e uma passagem para o Conselho dos 10, já no “Lado A” do palácio. O bilhete para o museu, com esse adicional, sai por 20 euros.

Se tiver tempo de ver outras atrações, vale comprar o Museum Pass (24,50 euros), que lhe permitirá visitar também outras 10 atrações de Veneza, incluindo o Museu de Vidro, em Murano, ou o do Settecento Veneziano. Adquira o passe especial aqui.

Visitando o museu

Palazzo Ducale

A ala dos mapas fará a alegria dos aficionados por história

Para fugir das multidões, chegue o mais cedo possível. As portas abrem às 8h30 e, portanto, é bom estar lá antes disso.

O Palazzo Ducale consiste em um amplo edifício com três alas, em forma de U, colado à Basílica de San Marco. Logo ao entrar, você tem acesso ao pátio central. Para chegar à loggia, espécie de “sobreloja”, passe pela imponente Escada dos Gigantes, ladeada por duas estátuas de mármore reproduzindo os deuses Marte e Netuno, obra de Sansovino.

O mesmo artista é o autor do próximo trabalho: a Escada de Ouro. Ela dá acesso aos pavimentos superiores e seu teto é ricamente decorado com estuque branco e molduras douradas de 24 quilates. Por sua beleza, era utilizado como caminho para cerimônias com participação do doge. Prepare-se para o primeiro torcicolo do dia.

Palazzo Ducale

A sala de armas mostra o poderio militar de Veneza no auge

No primeiro piso, a Sala dello Scudo deixa os aficionados por história de queixo caído. Logo na entrada surgem dois gigantescos globos terrestres e mapas da Europa, África e Ásia, datadas de 1762. Há ainda representações iconográficas de Veneza em 1511 e 1729. Pelos desenhos, é possível ver como o tecido urbano da cidade quase não mudou em 500 anos.

Na Sala delle Volte e ambientes contíguos, estão antigos aposentos do doge, familiares e pessoas mais próximas. Ainda é possível encontrar alguns resquícios dessa época, como lareiras e outros equipamentos de conforto. Em todo o museu há pinturas e esculturas que retratam os doges mais importantes. Um quadro traz os nomes de todos os doges de Veneza, de 697 até 1797, quando o exército de Napoleão dissolveu a república. Reproduções do Leão de San Marco, um felino alado que é o símbolo máximo do Ducado, também são comuns.

As salas institucionais

Palazzo Ducale

O esplendor da Sala del Maggior Consiglio é indescritível

Se você ficou impressionado com o luxo e a ostentação exibidos até agora no Palazzo Ducale, prepare-se para o prato principal. No segundo pavimento, as salas institucionais estão forradas de pinturas a óleo, cercadas por molduras douradas e mármore Carrara. Não há nenhum espaço nas paredes e no teto que não estejam cobertos por algum trabalho artístico.

Nas salas do Collegio, Senato e del Consiglio dei Dieci (Conselho dos Dez) se reuniam as personalidades políticas que governavam a República. Essas câmaras têm janelas voltadas para o Canal de Giudecca, iluminando o ambiente e tornando a visita ao Palazzo Ducale mais agradável.

Também voltada para o canal está a Armeria. A sala de armas contém armaduras, arcabuzes, canhões e todo o tipo de arma utilizada nas incontáveis guerras na qual se envolveu a República. Se o belicismo não te interessa, vá para as janelas, que oferecem uma visão esplêndida da região, com destaque para a Igreja de San Giorgio Maggiore, que fica de frente ao Palazzo Ducale.

Contemplar essa belíssima vista será importante para armazenar o oxigênio que irá lhe faltar em seguida. A Sala del Maggior Consiglio é gigantesca (53 metros de comprimento por 25 de largura), e coberta por tantas obras de arte e reproduções históricas que é difícil se ater a todas elas. Se for escolher um único trabalho para apreciar, concentre-se no quadro que representa o Paraíso. É a maior pintura a óleo do mundo e foi realizada pelo mítico Tintoretto no final do século XVI.

Palazzo Ducale

A Ponte dos Suspiros, vista por fora e por dentro

Se você está com vertigem ao ver tanto luxo, é chegado o momento de ir às salas de julgamentos e a Prisão Nova. A ligação entre o Palazzo Ducale e as celas é feita pela mítica Ponte dos Suspiros. Ela tem esse nome porque permitia aos condenados a última visão do mundo exterior, antes de serem encarcerados. Eles então suspiravam pela liberdade perdida. Em alguns calabouços é possível ver desenhos dos antigos prisioneiros.

Um sítio arqueológico foi descoberto no local. Ânforas de cerâmica do período romano foram encontradas na região e estão expostas em uma das salas.

Palazzo Ducale
Local: Piazza San Marco, Sestier de San Marco, Veneza
Horários: de 1º de abril a 31 de outubro
das 8h30 às 19 horas (entrada até 18 horas)
de 1º de novembro a 31 de março
das 8h30 às 17h30 (entrada até às 16h30)
Fechado em 25 de dezembro e 1º de janeiro

TEXTO E FOTOS: FÁBIO MENDES

veneza

 

4 thoughts on “Palazzo Ducale, em Veneza, garante suntuosidade a cada metro quadrado

  1. Alexandre

    Bom dia,

    Se eu comprar o ingresso no site oficial, que vale para uma entrada nos próximos 3 meses, isto me dá direito a pular a fila de entrada de quem está comprando no local?

    1. Fábio Mendes Post author

      Sim, Alexandre. Quem já está com o ingresso reservado tem acesso por uma entrada com menos filas e isso lhe fará ganhar tempo precioso.

  2. Louise

    Para fazer o passeio que passa dentro da ponte dos suspiros, é a entrada normal de 20 Euros pro Palazzo Ducale?
    Obrigada 🙂

    1. Fábio Mendes Post author

      Exato, Louise. Com a entrada normal, você visita os salões principais e passa por dentro da Ponte dos Suspiros para acessar as celas da Prisão Nova.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial