Respire história no Forte dos Reis Magos, em Natal

Forte dos Reis Magos

Vista a partir do forte

Visto do alto, ele tem o formato de uma estrela. De seu interior, no segundo andar, a vista é acachapante, com aquele mar esverdeado até onde a vista alcança. Do outro lado, a cidade. Na parte inferior, ainda do lado de dentro, uma arquitetura com as características portuguesas, um pátio livre com as alas e quartos ao redor. E muita história. Além do ar saudável de Natal, você respira muita história dentro do Forte dos Reis Magos.

Se você estiver hospedado na Praia dos Artistas ou na Praia do Meio, vá caminhando até o Forte dos Reis Magos, pela praia mesmo. Enquanto caminha, vá apreciando as piscinas naturais formadas durante a noite e que estão calminhas e lindas pela manhã.

A cidade de Natal nasceu com a construção do forte. Na segunda expedição para conquistar as terras – que haviam sido dominadas por franceses – chegaram à capitania Mascarenhas Homem e Jerônimo de Albuquerque, em 25 de dezembro de 1597. O objetivo era expulsar os franceses e reconquistar a capitania.

Forte dos Reis Magos

Vista a partir do pátio

O Forte dos Reis Magos, chamada desta forma por sua construção ter sido iniciada no dia 6 de janeiro. Ela foi construída como estratégia de defesa contra o ataque dos índios e dos corsários franceses. Com o domínio holandes, em 1633, o forte também mudou de mãos. Durante 21 anos, passou a se chamar Forte de Kenlen e Natal ganhou o nome de Nova Amsterdã.

Para aproveitar bem o local e conhecer a história mais a fundo, com detalhes bacanas de serem descobertos, use os serviços de um guia do local. Eles trabalham no forte e aguardam o convite dos turistas para começar a falar e falar e falar e contar muita coisa da história do forte. Eles não cobram um valor fixo pelo serviço, mas aceitam de bom grado uma contribuição. E ela vale a pena, pois suas perguntas serão respondidas com toda a boa vontade do mundo.

Forte dos Reis Magos

Salas guardam características de sua construção inicial

O guia vai te mostrar a escada de onde eram jogados invasores para a morte, o buraco no chão onde os prisioneiros ficavam, presos sob uma tampa de ferro, esperando a água do mar subir (não acho que fosse uma espera agradável). Há ainda as salas onde eram feitas as refeições.

Mais
Só pela história de centenas de anos atrás, pela arquitetura do local e pela vista a partir dele, a visita ao Forte dos Reis Magos é obrigatória para quem vai a Natal, na minha modesta opinião.

Forte dos Reis Magos

Ponte estaiada sobre o rio Pontengi – vista a partir do forte

Mas quem quiser mais, pode incluir no passeio histórico uma passadinha na loja de suvenir do local, bem bacana, com diversas opções de presentes. Há as antológicas garrafinhas com areia desenhada, chaveiros, livros, enfeites diversos para casa e camisetas. Gostei bastante das camisetas feitas com algodão natural, sem a adição de tintas para coloração. Custavam R$ 35.

A lanchonete do forte também é uma atração para a hora de se comer uma besteirinha durante as férias. Experimente os sorvetes de cajá, tapioca e se a fome apertar, há guloseimas salgadas também por ali, com preços justos.

TEXTO E FOTOS: ÉRICA FRANÇA

Mais de Natal: 

Rio Punaú, paradisíaco

De bugue pelas dunas de Natal

A 25 km de Natal, o maior cajueiro do mundo

Mergulho nos Parrachos de Maracajaú

3 thoughts on “Respire história no Forte dos Reis Magos, em Natal

  1. Pingback: Barra do Rio Punaú, nas proximidades de Natal: é verdade, você não está sonhando « Viajante em tempo integral

  2. Pingback: A 25 km de Natal, o maior Cajueiro do Mundo « Viajante em tempo integral

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial