Estádio Centenário para quem não é fã de futebol

Estádio Centenário

Não sou fã de futebol. Mas a mania nacional está entrando dentro de mim por osmose e culpa total do Fábio Mendes. Já não brigo mais contra isso. Aliás, já até passei a gostar de visitar os estádios e museus de futebol dos lugares visitados. Foi assim com o ótimo Museu do Futebol, no Pacaembu, em São Paulo. Também gostei demais do Maracanã, no Rio de Janeiro, e do La Bombonera, em Buenos Aires. Agora, entrou para a lista o Estádio Centenário, de Montevidéu.

Fomos lá uma noite após o Peñarol ter derrotado o Vélez Sarsfield, da Argentina, por 1 a 0 pela primeira partida em busca da final, pela Libertadores. Para mim, o estádio estava feio. Havia muito lixo. Para o Fábio, o Estádio Centenário estava lindo e havia ali, poesia. (Em tempo: O Peñarol perdeu o jogo de volta, mas como tinha saldo de gols na casa do adversário garantiu a vaga à final, contra o Santos – mas perdeu, no Pacaembu, por 2 a 1).

Estádio Centenário

Sujeira…(ou poesia)

Discordâncias à parte entre o Fábio e euzinha, visitamos o museu, que conta com preciosidades históricas, como a pedra fundamental de sua obra. Há ali também documentos importantes, como as capas dos jornais quando o Uruguai ganhou o ouro nas Olimpíadas de 1924 e 1928, antes mesmo da 1º Copa do Mundo. Aliás, a primeira Copa aconteceu em Montevidéu, em 1930, e o Estádio Centenário nasceu justamente para isso, para ser sede da primeira Copa.

No primeiro andar, que dá acesso ao campo e à cantina, há fotos históricas, uniformes de juízes, inclusive de uruguaios que já apitaram jogos da Copa.
Estádio Centenário

Mas a parte mais bacana está no andar de cima. Há ali fotos das equipes que disputaram a primeira Copa: foram 13 ao todo. Depois, há registros das conquistas uruguaias. E como uma das maiores conquistas uruguaias foi sobre o Brasil, em 1950, no Maracanã, temos de engolir isso e ver os painéis com as fotos do que eles chamam de gol do século (ou “gol del siglo”), em que o coitado do Barbosa não pôde evitar o tento  uruguaio do Ghiggia. Ali também há referências ao silêncio ensurdecedor experimentado no Maracanã.

Estádio Centenário

El gol del siglo (para eles!)

Enfim, mesmo não gostando (muito) de futebol, ver ali as conquistas históricas de uma nação é bacana. E o respeito que eles têm por outras grandes também. Ali há uma camiseta do Pelé, outra do Maradona. E fotos de nossas seleções vitoriosas em cinco Copas (2002, 1994, 1970, 1962 e 1958).

Faz bem à auto-estima quando a gente relembra nossas conquistas. E é sempre uma lição de história aprender um pouquinho sobre as Copas, sobre o futebol, sobre a paixão de um País e suas conquistas. Mas eu deixaria para visitar o campo propriamente dito apenas depois da limpeza, rs.

TEXTO: ÉRICA FRANÇA
FOTOS: FÁBIO MENDES

Leia mais sobre o Uruguai no blog

2 thoughts on “Estádio Centenário para quem não é fã de futebol

  1. Pingback: Programas gratuitos em Montevidéu « Viajante em tempo integral

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial