Duomo de Siena: saiba quando e como ir

duomo siena

A catedral é uma das construções mais estupendas de toda a Itália

ATUALIZADO EM 09/02/2017

Ao se falar em grandes catedrais italianas, todos lembram do Duomo de Florença ou da Basílica de São Pedro, no Vaticano. Mas há um templo que, embora de menores dimensões, é tão luxuoso e imponente quanto: a catedral de Santa Maria Assunta, ou simplesmente Duomo Siena. É um espetáculo à parte, que não deve ser ignorado por quem vai dar uma passadinha nesta deliciosa cidade da Toscana.

A arte no piso é de emocionar 

A melhor época para conhecer o Duomo Siena é nos meses de setembro e outubro. Neste período, o maior tesouro desta catedral é aberto ao público: os riquíssimos desenhos em mármore, espalhados por todo o piso. São impressionantes trabalhos de Opus sectile (obra cortada, em latim), uma milenar técnica de composição de imagens usando peças coloridas.

Confira todas as principais atrações de Siena

É aqui, em Siena, que se encontra o mais fantástico exemplo de Opus sectile de toda a Itália e, por que não, da Europa. Todo o piso levou mais de 200 anos para ser concluído e exigiu o esforço e talento de mais de 40 artistas. E não estamos falando de qualquer um, mas de gênios como Pinturicchio e Di Bartolomeo. São, ao todo, 56 painéis, espalhados por toda a catedral. É um trabalho tão rico e delicado que precisa ser preservado a maior parte do ano.

Duomo Siena

Contemple com calma. O piso da catedral é rico em detalhes e vai te deixar encantado

Essas preciosidades ficam expostas ao público apenas algumas semanas por ano, geralmente do final de agosto ao final de outubro. Fora desse período, é possível visitar a igreja, mas os belos desenhos estarão cobertos.
UPDATE: Em 2017, o piso estará aberto de 29 de junho a 31 de julho e de 18 de agosto a 26 de dezembro. Aproveite que as datas foram divulgadas e programe-se. Caso queira mais informações, confira no site oficial do Duomo Siena. Há informações em inglês e italiano.

Faltam palavras para retratar tanta beleza. Portanto, vale citar pessoas muito mais gabaritadas: o pintor Giorgio Vasari, afirmou no século XVI que o piso da catedral de Siena era “o maior, mais lindo e magnífico” do mundo. De lá pra cá, imagino que não fizeram coisa melhor por aí. O compositor Richard Wagner, 300 anos depois, foi às lágrimas ao conhecer o Duomo Siena.

Duomo Siena

Levou remédio para torcicolo? Vai precisar, e muito!

Conheça todo o Duomo Siena 

O piso é, de fato, a grande vedete da catedral. Mas há muito mais a ser apreciado. O Duomo Siena é, na verdade, um grande complexo, formado pela catedral propriamente dita, a Libreria Piccolomini, o batistério, a cripta, o Museo dell’Opera e o mirante, chamado Panorama dal Facciatone.

A melhor forma de conhecer o Duomo é adquirindo o passe Opa Si Pass: ele custa 8 euros do início de novembro ao final de fevereiro e 12 euros no restante do ano. Com esse passe é possível visitar todo o complexo em três dias. Veja no final do texto os preços individuais de cada atração.

Confira todos os nossos posts sobre a Itália

Catedral
A Igreja é uma das mais belas e impressionantes de toda a Itália, mesmo sem considerar os estupendos trabalhos em mármore no piso.

Tanto o exterior da igreja quanto seu interior foram feitos de mármore branco e preto, que dão uma imponência ainda maior ao conjunto, construído no século 13. A opulência está em todos os lugares, a começar pelas esculturas de profetas e apóstolos na fachada. No alto, está a belíssima lanterna, projetada por ninguém menos que Gian Lorenzo Bernini, o arquiteto dos papas e responsável por meio mundo de belezas em Roma.

duomo siena

O compositor Wagner foi às lágrimas ao contemplar as belezas da catedral.

Ao entrar, o encantamento continua. O teto é adornado por bustos de 172 papas e 36 imperadores. Para os interessados em história, é momento de torcicolo. Outra atração de quebrar o pesçoco é a exuberante cúpula, de luminosidade estonteante.

Os vitrais também são belíssimos. Um deles, de 1288, reproduz a Santa Ceia e foi feito a partir de desenhos de Duccio. O altar de mármore, por sua vez, é de 1532 e foi criado por Baldassarre Peruzzi. Há ainda esculturas de Donatello (que também projetou os túmulos de cardeais e bispos enterrados ali) e uma reprodução de São Pedro, feita por Michelângelo.
Das várias capelas, vale conferir a São João Batista. Há uma estátua do santo, de autoria de Donatello.

Viajar com crianças é possível. Confira todas as nossas dicas!

Libreria Piccolomini

duomo siena

As pinturas da Libreria Piccolomini, no teto e na parede, são deslumbrantes

O mesmo Pinturicchio que fez um dos desenhos do piso é o autor de vários dos afrescos presentes na  Libreria Piccolomini. O local tem este nome em homenagem ao cardeal Enea Silvio Piccolomini, que se tornaria o Papa Pio II. É a história deste religioso que é mostrada na série de desenhos. O local é de derrubar o queixo.

Museo dell’Opera
São os mesmos artistas, citados logo acima, os responsáveis por boa parte do acervo do Museu. Construído ao lado da catedral, abriga obras da Escola Sienesa, criadas entre os séculos 13 e 16. O local abriga ainda preciosidades como “O Nascimento da Virgem” (1342) de Pietro Lorenzetti, e a “Maestá”, de Duccio. A Sala do Tesouro abriga grandes obras do período medieval.

Quer viajar mais? Confira dicas para acumular muito mais milhas!

Batistério

Duomo Siena

Os afrescos, a fonte batismal e os entalhes de bronze. É muita beleza junta

Outro local recheado de afrescos, desta vez criados por Lorenzo di Pietro (Vecchietta). Entre os quadros estão o “Batismo de Cristo”, de Andrea e Rafael Piccinelli, e a “Pietá” de Antonio Buonfigli. Também chama atenção a incrível fonte batismal, com figuras em bronze de Donatello, Lorenzo Ghiberti e Jacopo della Quercia.

A cripta
Situado sob a catedral, foi descoberto apenas em 1999. O segredo de quase mil anos, em pouco tempo, se transformou em uma das grandes atrações do complexo. Os afrescos que ali estão evocam, geralmente, a paixão e morte de Cristo. São esplêndidos, embora muitos precisem ser devidamente restaurados. Entre as obras estão “Crucificação” e “Retirada da Cruz”.

Panorama dal Facciatone

duomo siena

Do alto do mirante, a vista de toda a cidade e do entorno é estupenda

O Mirante do Duomo é um dos melhores lugares para ver a cidade de cima (há outros, igualmente interessantes). Subimos a escadaria eu, Érica e a Carol. A vista do local é alucinante e se tornou ainda mais interessante vendo de cima jovens músicos ensaiando para algum evento, lá embaixo, na praça do Duomo.

Subir até lá é tranquilo. As escadas não são tão íngremes e dá para ir numa boa. Ao chegar lá, no entanto, é preciso ter o máximo de cautela se for com crianças. Eu e a Érica ficamos um pouco tensos porque achamos o muro de contenção um pouco baixo, batendo na nossa cintura.

Levar crianças lá não é perigoso, não há nenhum tipo de restrição e, chegando lá, é perfeitamente possível curtir a paisagem. Mas nos incomodamos um pouco pelo fato de estar cheio demais para ficar com uma criança. Levamos a Carol no colo o tempo todo.

 

Preços 

 

Duomo Siena

Foco nos detalhes: o incrível vitral e o topo da abóbada

Catedral
De 01/11 a 24/12 e de 11/01 a 29/02 – Gratuito
De 26/12 a 10/01 e de 01/03 a 13/08 – € 4,00
Período com piso aberto – € 7,00

Catedral + Libreria Piccolomini

De 26/12 a 10/01 e de 01/03 a 13/08 – € 4,00
De 01/11 a 24/12 e de 11/01 a 29/02 € 2,00

Museo dell’Opera e Panorama dal Facciatone
€ 7,00

Cripta
€ 6,00

Batistério
€ 4,00

FOTOS: FÁBIO MENDES E ÉRICA FRANÇA

 

text here (1)

Coloque seu e-mail abaixo e clique em Subscribe:

E-mail:

Conheça o Duomo Siena 

 

13 thoughts on “Duomo de Siena: saiba quando e como ir

  1. Mãe Dondoca

    Poxa, que passeio lindo de se admirar! As duomos costumam ser de tirar o fôlego. Conheço apenas a de Milão, mas em fevereiro vou conhecer a de Verona, que deve ser bem mais simples, né? Toscana ainda é um destino a descobrir, mas valeu pela dica da época de visita para ver o chão trabalhado em mármore. Bjokas

    1. Érica França

      Então, no de Milão, não consegui ir. Mesmo no de Florença, eu não subi até o alto, porque a fila estava imensa e eu estava com uma criança serelepe de dois anos. Agora, na de Siena, não havia filas e lá dentro é incrível!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial