Coliseu, Fórum Romano e Palatino: 3 passeios em 1

coliseu

Quase 2 mil anos de história em um edifício espetacular. Eis o Coliseu

Uma das atuais sete maravilhas do mundo, a mais famosa construção do mundo antigo, ao lado das Pirâmides do Egito, sonho de consumo de quase todo viajante que se preze… coloque aí o seu adjetivo ou classificação preferida: o Coliseu é o suprassumo para quem vai a Roma. O fantástico estádio construído pelo Império Romano entre 72 e 80 Depois de Cristo é aquele tipo de atração turística que não dá para perder, não dá para evitar.

Ao lado do Coliseu, está aquela que talvez seja a segunda grande atração da cidade: o Fórum era o coração da Roma no período da República e, principalmente, do Império. O centro nervoso da efervescente capital reunia os mais importantes prédios públicos, como palácios, templos, mercados e os indefectíveis arcos. As ruínas das construções nos dão uma boa ideia do quão imponente e esplêndido era esse lugar.

Estas duas atrações estão muito próximas uma da outra e fazem parte de um “combo turístico”, que inclui ainda o Monte Palatino, e que podem ser visitadas com um único bilhete.

Como chegar

coliseu

Quatro andares de arquibancada, a arena e o subterrâneo formavam os níveis do Coliseu

O Coliseu e o Fórum Romano são facinhos de chegar. O meio mais fácil, como já é de se imaginar, é de metrô: basta pegar a Linha B e descer na estação Colosseo. Pronto!

Para quem usa os bondes, os da linha 3 deixam em frente à atração. Ela percorre o Trastevere, Porta Portese e vai até Porta San Paolo, passando em frente ao Circo Massimo antes de chegar ao Coliseu.

Várias linhas de ônibus servem a região. As que passam mais próximo da entrada são as linhas 51, 75, 85, 87, 117, 118 e N2, mas você também pode utilizar a 81, 118 e 628

 

Visite o subterrâneo e o terraço

coliseu

Tanto o terraço quanto o subterrâneo podem ser visitados

O Coliseu possuía um andar subterrâneo, que era por onde passavam os gladiadores, animais e cristãos antes de serem levados à arena propriamente dita.

Atualmente, essas galerias subterrâneas estão completamente expostas e do alto é possível ver os corredores por onde passavam as “estrelas” do espetáculo.

Se você quer uma experiência ainda mais intensa, é possível fazer uma visita guiada aos subterrâneos. Há três opções de idiomas: italiano, inglês e espanhol.

Além de visitar os subterrâneos, você também irá acessar o terraço panorâmico, que é um piso construído no mesmo nível da arena. Dali, é possível ter o mesmo ponto de vista dos velhos gladiadores na hora dos combates. A entrada especial custa 9 euros. Confira os dias e horários aqui.

Conhecendo o Coliseu

coliseu

Inscrições indicavam o nome dos proprietários dos camarotes

O Coliseu tinha capacidade para abrigar mais de 50 mil pessoas de uma única vez. Quando inaugurado, em 80 D.C, possuía três andares, sendo que posteriormente foi construído um quarto piso, mais simples e utilizado para abrigar os plebeus. Nos níveis abaixo, os assentos eram destinados à nobreza e para a classe média da época.

Atualmente, é possível visitar dois dos andares originais do Coliseu, caminhando pelo que seriam os corredores de acesso às arquibancadas. Em vários pontos, surgem as escadas que davam acesso aos níveis superiores. Esses locais são interditados e há apenas algumas passagens liberadas.

Nas proximidades do terraço, está uma fração pequena, mas muito bem conservada, de como eram as antigas arquibancadas. As cadeiras mais próximas estão a cerca de 5 metros acima da arena, muito próximas da ação.

coliseu

Em um trecho, é possível ver parte da arquibancada que sobrou

A curiosidade toma conta à medida que vamos adentrando o Coliseu e observando cada espaço. Um dos itens mais interessantes são enormes blocos, dispostos no primeiro nível, muito próximo da arena. Eles blocos faziam parte dos camarotes, reservados aos senadores, patrícios e outros aristocratas, que tinham local especial reservado para assistir aos eventos.

Os nomes desses privilegiados era inscrito nas pedras e alguns ainda podem ser vistos atualmente.

No meu caso, fiquei muito curioso de descobrir onde ficava o camarote imperial. Estima-se que estivesse exatamente na lateral do primeiro nível. Neste exato ponto, foi inserida uma cruz, justamente para demarcar o local.

 

Emoções conflitantes

coliseu

Alguns acessos estão fechados, mas em dois andares os corredores estão livres

O Coliseu é uma daquelas atrações que exigem um pouco de contemplação. Em primeiro lugar porque ele é imenso, gigante, e em cada canto você encontrará uma novidade. Em segundo lugar, porque a carga de história, caos e dramaticidade que o local carrega é intensa. E você vai precisar respirar fundo no momento em que se lembrar disso.

Vespasiano iniciou a construção do Coliseu logo após assumir o trono, sucedendo a Nero. Para marcar seu nome no panteão dos grandes imperadores romanos, ele pensou em construir uma grande obra pública. Escolheu um gigantesco anfiteatro, para a realização de grandes eventos que pudessem entreter a plebe.

Sua grande sacada foi construir o anfiteatro no exato local onde Nero havia erguido seu gigantesco palacete particular, a Domus Aurea (“casa dourada”, em latim). Com isso, Vespasiano matava dois coelhos com uma cajadada só: devolvia à população um espaço público que havia sido tomado pelo soberano anterior e ainda mostrava ser um líder poderoso, digno de admiração e respeito.

coliseu

Entre o Coliseu e o Fórum Imperial, está o Arco de Constantino

Vespasiano morreria antes de ver sua grande obra pronta. Coube a seu sucessor, Tito, entregar a obra. Em pouco tempo, o Coliseu receberia multidões gigantescas para receber todo tipo de barbaridades travestidas de espetáculo: batalha de gladiadores, execução de cristãos e escravos, sacrifício de animais e até mesmo batalhas navais – em algumas épocas, o palco era inundado para receber navios de guerra.

Por tudo isso, o Coliseu desperta emoções contraditórias. Ao mesmo tempo em que você se maravilha com a imponência, beleza e a incrível modernidade do edifício, também se entristece e se revolta com todos os crimes contra a humanidade cometidos ali. É um local para se deter por um longo tempo, a pensar no quanto evoluímos e o quanto precisamos evoluir como seres “civilizados”.

 

Fórum Imperial, coração da Roma Antiga

coliseu

O Templo de Divo Romolo tem uma porta de bronze da Idade Antiga, que ainda funciona

O passeio no Fórum é igualmente incrível. O local era o centro nervoso da Roma Antiga, o local onde tudo acontecia. Eventos, intrigas políticas, grandes comícios e os negócios do dia-a-dia.

Entre o Coliseu e o Fórum está um monumento que chama a atenção e vale a pena falar dele. O Arco de Constantino foi construído em 315 pelo primeiro imperador cristão de Roma. Àquela época, o extenso império já não apresentava o esplendor de antes e o Arco de Constantino mostra isso: apesar de imponente, as obras de arte em alto relevo não apresentam a mesma beleza de outros elementos, construídos séculos antes.

Seguindo em frente, entramos na região do Fórum e logo de cara passamos pela Via Sacra. Ladeando o caminho, estão árvores como ciprestes, embelezando o local. Lá na frente, está o Arco de Tito, menor e mais simples que o de Constantino.

coliseu

O Templo de Antonino e Faustina deu lugar a uma igreja

Seguindo pela Via Sacra, você encontra ruínas dos antigos palácios, que vão brotando de todos os lados. Alguns edifícios, no entanto, continuam de pé. O primeiro e um dos mais impactantes é o Templo do Divo Rômulo, de formato circular.

Algumas das gigantescas colunas que adornavam a entrada ainda estão de pé. A enorme porta de bronze, de cor esverdeada, é original do edifício (ou seja, foi construída na Idade Antiga) e ainda funciona perfeitamente.

 

Templos religiosos

coliseu

Aqui, as virgens vestais ficavam enclausuradas, protegendo o fogo sagrado

Um pouco mais à frente aparece o esqueleto do Templo de Antonino e Faustina. O edifício foi construído pelo imperador Antonino em 141 D.C, em homenagem à esposa falecida. Hoje, restam as altas colunas e as escadas. Atrás dessa estrutura, está a igreja que foi construída no local, substituindo o templo pagão.

Ainda restam as colunas de dois dos mais importantes templos religiosos erguidos no Fórum. Um deles é Templo de Vesta, dedicado à Deusa do Fogo Sagrado. Ali, era mantida eternamente a chama em homenagem à divindade. As responsáveis pela tarefa eram as virgens vestais, escolhidas entre a nobreza da época.

coliseu

Algumas inscrições ainda podem ser vistas nas ruínas dos edifícios

O Templo de Saturno, dedicado ao deus da agricultura, é outra construção religiosa importante. O local também serviu de sede do tesouro romano e ainda há inscrições visíveis nas poucas colunas que restaram.

Outras construções que chamam a atenção é o Arco de Septimio Severo, o Templo de César e o Templo dos deuses Castor e Pólux.

 

Monte Palatino

coliseu

Várias residências imperiais foram construídas no Palatino

Depois de se deslumbrar com as construções, é chegado o momento de curtir o Monte Palatino, uma das famosas sete colinas sobre a qual cresceu a cidade. Para os menos preparados fisicamente, a subida pode cansar um pouquinho, mas vale muito a pena: ali estão as ruínas de vários palácios imperiais (soberanos como Augusto, Septimio Severo e Nero construíram ali suas residências).

Os palácios eram tão suntuosos e em número tão elevado que influenciaram até mesmo na formação das línguas latinas. A palavra “palácio” vem do latim “palatium”, que tem relação direta com o nome do local.

coliseu

Ainda é possível ver resquícios dos antigos palácios do Monte Palatino

Aqui seria, segundo a lenda, o marco zero de Roma, o exato local onde os gêmeos Rômulo e Remo fundaram a cidade. Se é verdade ou não, o fato é que ali estão restos da mais antiga muralha da cidade.

Outro fato já comprovado é que a região abrigava tribos antigas ainda na Idade do Ferro, nos estertores da Pré-História.

Independente dos detalhes históricos, o local oferece belas vistas da cidade e oferece um passeio delicioso, perfeito para encerrar um dia cheio de história, arquitetura e muito bater de pernas.

FOTOS: FÁBIO MENDES

 

 

36 thoughts on “Coliseu, Fórum Romano e Palatino: 3 passeios em 1

  1. Gustavo Mendes

    Uau, quanta novidade!
    Confesso ser um pouco polêmico quanto ao Coliseu. Seu peso histórico não me permite ser um grande admirador da construção. Mas enfim, adorei os outros lugares que mostrou, Roma tem uma história tão rica (apesar de não tão bela, ao meu ver), deve ser muito gratificante conhece-la de pertinho.

    1. Fábio Mendes Post author

      Gustavo, fiquei o tempo todo em Roma ao mesmo tempo fascinado com as belezas arquitetônica e incomodado com as atrocidades do período. Isso vale tanto para a Roma Antiga quanto a Roma Renascentista. Mas isso só a torna ainda mais incrível!

  2. Priscila Sawa

    Só em olhar as fotografias fiquei toda calminha, mas que lugar bonito! Em pensar que uma amiga minha foi para Roma e a descreveu como “tédio puro”, minha vontade era espancá-la até a dita cuja reconhecer que estava errada, hahahaha. Quanta tranquilidade gente, tô abismada com isso, o turismo por lá é tão organizado que chega causa inveja, rs. Adorei, abraços!

    1. Fábio Mendes Post author

      Camila, é um lugar de sonho. Não tem como não ficar encantado com a cidade. Espero que a visite logo. Beijos!!!

    1. Fábio Mendes Post author

      Oi, Suelen. Obrigado pelos elogios. Adoramos Roma e por isso ficamos muito felizes de escrever sobre ela!!

    1. Fábio Mendes Post author

      Ficar imaginando o passado em Roma é algo que acontecia a toda hora. E não é pra menos. É um lugar fenomenal!!!

    1. Fábio Mendes Post author

      Oi, Bharbara, obrigado pelos elogios! Que bom que ficou com vontade de conhecer. Espero que a visite logo. Roma é incrível!!! Beijos!

  3. Eduarda

    Cada vez que venho aqui eu saio com mais lugares na lista de viagens!!! Que o coliseu é incrível todo mundo sabe, agora essa dica foi pra convencer mesmo e já organizar as próximas férias heheh Adorei!

    1. Fábio Mendes Post author

      Que legal, Eduarda. Continue acompanhando o blog que sua lista vai ficar maior ainda. Hahahahahahahahahaha

      Em breve, vamos postar uma dica para fugir das filas ao entrar no Coliseu. Dá uma conferida!

  4. Erica Oliveira

    Que arquitetura incrível!! Fico imaginando o tanto de história que dá para aprender visitando esses lugares, um dia quero conhecer todos de perto e tirar muitas fotos pq são realmente incríveis!

    1. Fábio Mendes Post author

      Para quem gosta de história, arte e arquitetura é um prato cheio. Eu me esbaldei nesse lugar. É um lugar no qual dá pra ficar a vida inteira e ainda será pouco!

  5. Leituras Compartilhadas

    Quanta riqueza histórica em uma viagem dessas, hein! Sem contar a inegável beleza das construções. Definitivamente, é um sonho de viagem. O perigo de ir passara as férias nesse lugar é a pessoa nunca mais querer voltar. Adorei!

    Tatiana

    1. Fábio Mendes Post author

      Nossa vontade foi mesmo não voltar, Tatiana. O país todo é lindo demais. E piramos no Coliseu, é um lugar incrível. Abraços!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial