Cataratas do Iguaçu: vale a pena conhecer o lado argentino

Cataratas argentina

A maior parte das quedas fica no lado argentino. Da Isla San Martín, a vista é espetacular

As cataratas do Iguaçu, com a sua beleza espetacular, encantam a qualquer ser humano. No lado brasileiro, são milhares e milhares de visitantes todos os dias, embasbacados com a beleza das quedas d’água. Após conhecer a porção brasileira do parque, fica a dúvida: e por que não conhecer o lado argentino? Resolvemos conferir e gostamos muito da experiência.

LEIA MAIS

Conheças as principais atrações de Foz do Iguaçu

Parque das Aves é uma atração obrigatória em Foz do Iguaçu

Templo Budista é um recanto de beleza e sossego

 

Antes de partir
Primeiramente, é preciso levar em consideração os procedimentos comuns para uma visita a outro país. Como a Argentina também faz parte do Mercosul, o passaporte não é obrigatório, sendo que o documento de identidade pode ser apresentado no Posto de Imigração. Mas lembre-se de portar o documento em bom estado, inclusive para adentrar o parque.

Caso viaje com filhos, lembre-se de levar todos os documentos possíveis: certidão de nascimento, passaporte e documento de identidade, se houver. Em geral, não é necessário, mas um ou outro guarda pode ser um pouco mais exigente.

Outra medida importante: leve pesos do Brasil. O Parque não aceita reais e em algumas casas de câmbio de Puerto Iguazu – a cidade argentina mais próxima das cataratas – é difícil encontrar boas cotações.

Chegando na Argentina

Cataratas argentina

Duty Free, cassino e parrilhas te esperam em Puerto Iguazu

É fácil chegar ao lado argentino partindo de Foz do Iguaçu. Toma-se a Avenida das Cataratas e em seguida pegue a avenida Mercosul, cujo acesso é feito no trevo próximo ao Hotel Carimã.

A partir de então, o caminho segue livre por alguns quilômetros. Atravessamos a ponte Presidente Tancredo Neves, que faz a divisa entre os dois países. Antes de chegar ao Posto de Imigração, é possível fazer uma paradinha no Duty Free Shop Puerto Iguazu. Isso mesmo: tem uma loja livre de impostos na divisa dos dois países!

O Duty Free funciona todos os dias, das 10 às 21 horas e tem tudo o que você procura em um estabelecimento dessa natureza: perfumes, maquiagens, equipamentos eletrônicos, bebidas, chocolates…

Menos de um quilômetro à frente, e já depois do Posto de Imigração, está outro local muito procurado em Puerto Iguazu: o cassino. São mais de 30 mesas de jogo para você se esbaldar. Roleta, Black Jack, Poker, Dados e muito mais.

A cidade em si não é tão bonita e interessante quanto Foz do Iguaçu, mas há algumas boas opções além das duas já citadas. Após voltarmos do Parque Nacional Iguazu, demos uma passadinha no perímetro urbano e paramos no Parrilla Pizza Color. Matamos a saudade do indefectível Bife de Chorizo.

Conhecendo o parque

Cataratas argentina

O Parque Argentino é mais rústico que o brasileiro, mas tem ótima acessibilidade

A primeira coisa que nos chamou a atenção no parque argentino é o contraste com o equivalente brasileiro, imponente e quase luxuoso. O dos hermanos é limpo, organizado e muito bonito, mas tem um clima bem mais rústico, as construções são menores, mais simples.

Mas não se preocupe, pois você encontrará toda a infraestrutura necessária lá: banheiros, cafeteria, restaurante, loja temática e balcão de informações.

Uma boa notícia para quer conhecer o local com crianças pequenas: é possível fazer os principais passeios com carinho de bebê. O parque tem ótima acessibilidade.

Os circuitos

Cataratas argentina

Os vários circuitos são interligados por um simpático trenzinho

Assim como no lado brasileiro, o parque conta com vários núcleos de visita. A diferença é que o acesso entre eles não é feito por ônibus, mas por um simpático trenzinho.

O Parque Nacional Iguazu conta com cinco circuitos, que podem ser percorridos a pé. O acesso a eles é feito justamente pelo trem. O Sendero Verde tem 600 metros e liga a Estação Central à Estação Cataratas.

Da Estação Central, existem duas trilhas que levam ao trecho mais estreito do rio Iguaçu. Um deles leva até aos famosos botes: assim como no parque brasileiro, há a possibilidade de cruzar o rio nestes barcos e ter uma vista especial de todas as cataratas.

Cataratas argentina

Os vários circuitos oferecem pontos de vista distintos do parque

Da Isla San Martín, o acesso é feito por barco, mas vale muito a pena. É de lá que se tem algumas das melhores vistas no lado argentino.

Da Estação Cataratas partem os dois maiores circuitos. O Circuito Superior tem 1.750 metros de extensão e dá acesso ao alto das quedas d’água. O circuito inferior é um pouco menor (1.400 metros) e permite ver as cachoeiras de baixo para cima, em um visual lindíssimo.

A partir da Estação Cataratas se tem acesso a outro núcleo de recepção dos turistas, incluindo cafeteria, restaurante e dois hotéis. Um deles é imponente e fornece uma ótima visão das cachoeiras.

Garganta do Diabo

Por fim, temos o circuito Garganta do Diabo. Para chegar a ele, é preciso pegar o trem e descer na última estação, de mesmo nome. A partir daí, o caminho é feito quase que totalmente por meio de sólidas pontes de metal sobre o Rio Iguaçu, devidamente intercaladas por pequenas ilhas fluviais.

Ao todo, são 1.100 metros totalmente acessíveis para carrinhos de bebês ou cadeira de rodas. Nesse ponto, apenas a passarela denuncia a presença humana: ficamos cercados pelo rio e a mata nativa e é possível ouvir pássaros cantando em todos os lugares. Em alguns pontos, os famigerados quatis também dão o ar da sua graça.

O final do circuito se dá em uma plataforma construída exatamente sobre a Garganta do Diabo. Trata-se do ponto em que as cachoeiras formam uma ferradura e onde ocorre a maior vazão de água. Ou seja, onde o impacto das águas é maior e mais impressionante.

Ver as cachoeiras deste ponto é algo espetacular. A vista do lado brasileiro é mais bonita, já que ele oferece um ponto de vista panorâmico das quedas. Aqui, você tem uma experiência totalmente diferente, muito mais sensorial. Você sente sob seus pés toda a potência das cachoeiras, caindo com força total a uma altura de aproximadamente 80 metros. É a natureza se manifestando de forma incrível diante de seus olhos.

Cataratas argentina

Sentir as quedas sob seus pés é uma experiência incrível

SERVIÇO
PARQUE NACIONAL IGUAZU

Funcionamento:
Todos os dias, das 8 às 18:00. É possível comprar os tickets até 16h30
Telefone: (+54) 3757 491469

Preços (em pesos)*

Cidadãos do Mercosul (incluindo brasileiros):

Adultos (a partir de 12 anos): AR 200
Crianças (de 6 a 12 anos): AR 50

Cidadãos Argentinos:

Adultos (a partir de 12 anos): AR 160
Crianças (de 6 a 12 anos): AR 40
(moradores da província de Misiones pagam de AR 25 a AR 30)

Estrangeiros: 
Adultos (a partir de 12 anos): AR 260
Crianças (de 6 a 12 anos): AR 65

* Adquirindo bilhetes para dois dias, o segundo tem desconto de 50%

Estacionamento:
Motos: AR 35
Carros: AR 70
Vans: AR 90

10 thoughts on “Cataratas do Iguaçu: vale a pena conhecer o lado argentino

  1. Aline Figueiredo

    O que faço com essa imensa vontade de arrumar as malas agora, e partir pra conhecer as Cataratas?!
    Tô anotando aqui na listinha dos planos para um futuro próximo e já já volto a esse post!
    Beijos!

    1. Érica França

      Rsrsrs…eu também não sei o que fazer com esta vontade maluca de ir pra todos os lugares do mundo ao mesmo tempo! Mas Foz vale a pena ir logo, viu. É lindo demais e as crianças adoram!

  2. Sarah Gomes

    Bah e o que a gente faz depois de olhar isso, pois eu e meu marido amamos cachoeiras e já fizemos muitas trilhas, mas isso aí chega a ser até abuso, lindo post e dicas melhores ainda, parabéns!

    1. Érica França

      Oi, Sarah. Obrigada pela visita. Eu, marido e filha também amamos cachoeiras e destinos de natureza e Foz realmente é de nos deixar embasbacados! 😉

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial