Castelo Sforzesco: conheça a história dessa atração obrigatória na cidade de Milão

A Torre del Filarete rompe os céus de Milão

A Torre del Filarete rompe os céus de Milão

Quando se fala nas atrações turísticas de Milão, os primeiros nomes a virem à mente são as imponentes catedral, o Duomo, e galeria Vittorio Emanuele II, localizadas no centro da cidade. No entanto, reserve uma boa parcela do seu tempo para conhecer uma das maiores e mais belas construções da cidade: o Castelo Sforzesco.

A melhor maneira de chegar ao Castelo Sforzesco é de metrô. Descendo na estação Cairoli (Linha 1 – Vermelha), você estará a apenas alguns metros da entrada.

O Castelo Sforzesco tem esse nome em alusão aos Sforza, uma família de nobres que esteve entre as mais poderosas da Itália entre os séculos XIV e XVI e que dominou o Ducado de Milão por décadas. Quem assistiu ao ótimo seriado “Os Borgias” lembrará bem das peripécias dessa turma.

Corte Ducale abriga os objetos mais preciosos do Castelo Sforzesco

Corte Ducale abriga os objetos mais preciosos do Castelo Sforzesco

A construção do Castelo, no entanto, não foi realizada pelos Sforza, e sim por outra influente família, os Visconti. Concluído em 1370, passou por seguidas ampliações e reformas nas décadas seguintes. Desses trabalhos participaram os mais renomados arquitetos e artistas do Renascimento, como Filippo Brunelleschi, Benedetto Ferrini e Donato Bramante.

Infelizmente, a maior parte dessas intervenções se perdeu no tempo. O Castelo Sforzesco foi vítima de seguidas invasões estrangeiras, especialmente dos espanhóis, franceses e austríacos, que desfiguraram seu desenho original. Parte de sua estrutura foi restaurada e reconstruída no final do século XIX, com a unificação italiana.

Imponência restaurada

A história da Família Sforza se mistura com a do Ducado de MIlão

A história da Família Sforza se mistura com a do Ducado de MIlão

O que sobrou do Castelo Sforzesco, no entanto, é suficiente para termos uma ideia da opulência que cercava os antigos duques que dominavam a cidade. Logo de cara nos deparamos com a gigantesca Torre del Filarete, erguida no século XVI e reconstruída em 1906, após ter sido danificada em diversas guerras. Os brasões do Ducado de Milão e da família Sforza dão as boas vindas.

Após passar pelo imenso átrio, é possível passear pelos principais setores do Castelo Sforzesco. O mais belo é a Corte Ducale, que abriga uma série de grandes e importantes museus, como o de Arte Antiga, a Pinacoteca (com quadros dos períodos medieval e do Renascimento), e o dos instrumentos musicais. Obras de Leonardo da Vinci e Michelângelo embelezam as salas.

Mais à frente surge a Rochetta, a parte mais fortificada do Castelo Sforzesco. Ela começou a ser construída ainda durante a dinastia dos Visconti e servia como quartel. Durante o domínio dos Sforza, tornou-se refúgio da família contra os ataques dos invasores.

Parque Sempione
Para quem vai ao Castelo Sforzesco, um bônus sensacional é a possibilidade de passear pelo Parque Sempione. Construído em estilo inglês, é o mais importante da cidade, com cerca de 370 mil metros quadrados. Tem como um de seus ícones o Arco da Paz, bela construção no lado oposto ao do castelo.

Parque Sempione é o refúgio preferido dos milaneses

Parque Sempione é o refúgio preferido dos milaneses

O Parque Sempione é também um ótimo lugar para levar as crianças. O local reúne uma série de atrações que vão animar e muito os pequenos, como o Aquário Cívico e as inúmeras lagoas, cheias de peixes, patos e tartarugas.

Outras instalações são a biblioteca, a Torre Branca e a Arena Cívica, construída durante o domínio napoleônico e que hoje abriga partidas de futebol e rugby.

Preços e horários
A entrada para o Castelo Sforzesco é gratuita. Para os museus, o bilhete custa 5 euros, mas há a opção do bilhete cumulativo (12 euros, com duração de três dias). O Museo Card custa 35 euros e tem validade para um ano inteiro, além de oferecer vantagens como audioguia e outros.

O Castelo Sforzesco fica aberto de segunda a domingo, das 7 às 19 horas. No inverno ele fecha uma hora mais cedo. Os museus funcionam de terça a domingo, das 9 horas às 17h30, sendo que o acesso é permitido até às 17 horas.

TEXTO E FOTOS: FÁBIO MENDES

Leia mais:

Veneza: como se perder (ou não) na cidade

Revezamento em museus: solução para viajem com crianças

 

6 thoughts on “Castelo Sforzesco: conheça a história dessa atração obrigatória na cidade de Milão

    1. Fábio Mendes Post author

      Oi, Nathy. Muito obrigado. Que bom que você tem gostado dos posts. Continue acompanhando nossos textos. No mês que vem teremos mais posts da Itália. Abraços!

    1. Fábio Mendes Post author

      Oi, Shirley, o castelo é muito bem preservado. Tanto a parte que foi reconstruída no século 19 quanto a parte original, que é muito mais antiga. O castelo é muito bem cuidado e cheio de informações para os visitantes. É incrível!

  1. Ana Carolina Lopes

    Oie 🙂

    Adorei a dica! Como fã declarada que sou de romances de época é claro que também sou louca pra conhecer um castelo de perto, tudo que remete ao século passado me deixa curiosa, mas esse castelo me despertou uma sensação diferente, um encantamento único. É uma pena que eu não possa (por questões financeiras) visita-lo tão cedo. Mas vontade não falta! Adorei as fotos 🙂

    Abraços

    1. Fábio Mendes Post author

      Olá, Ana. Viajar à Itália (e à Europa em geral) é um sonho para quem se interessa por romances históricos. Com a queda do Euro, a viagem até lá está um pouco mais barata, mas ainda assim a passagem é salgada. Mas vale seguir nossas dicas para economizar. 😉

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial