Palácio Itamaraty abriga arte, história e uma rica tradição da República brasileira

Palácio Itamaraty foge do padrão arquitetônico da Esplanada

Palácio Itamaraty foge do padrão arquitetônico da Esplanada

Esqueça o que o porta-voz do governo israelense disse sobre o Brasil: desde o início da República, o país firmou importantes ações diplomáticas, que repercutem até hoje. Muitas dessas conquistas repousam no Palácio Itamaraty, a sede do Ministério das Relações Exteriores, instalado próximo do Congresso Nacional.

Assim como o Palácio da Justiça, o Itamaraty foge ao padrão arquitetônico dos prédios que compõem a Esplanada dos Ministérios. Sua bela fachada repleta de arcos é adornada por um lago artificial, artifício utilizado em muitos pontos da cidade não só como elemento decorativo, mas também para atenuar a secura do ar brasiliense (a umidade relativa do ar frequentemente vai a menos de 20%). Sobre as águas, repousa a escultura “Meteoro”, de Bruno Giorgi, que representa a união dos cinco continentes.

"As Gêmeas", de Ceschiatti

“As Gêmeas”, de Ceschiatti

No térreo do Palácio itamaraty, há um jardim de plantas amazônicas projetado pelo paisagista Roberto Burle Marx. Assim como o lago, ele também tem a função de amainar o ar seco da região. Logo de cara, chama a atenção do vão livre, de 2.800 m2, e a escadaria suspensa, grandes sacadas de Niemeyer, que dão um ar de imponência ainda maior ao interior.

Espalhadas entre as alas e corredores do edifício, estão importantíssimas obras de arte, como o quadro “Coroação de D. Pedro”, de Debret, e duas criações de Cândido Portinari (“Gaúchos” e “Jangadeiros”). Na mesma ala, repousa uma réplica, em tamanho reduzido, do famoso “Grito do Ipiranga”, de Pedro Américo. O original está no Museu Ipiranga, em São Paulo.

Há ainda afrescos de Alfredo Volpi e a escultura em bronze “As Gêmeas”, de Alfredo Ceschiatti, esta na parte externa da cobertura, onde há mais um jardim e uma bela vista para os edifícios da região.

Um pouco de história
Itens de grande importância história também integram o acervo do Palácio Itamaraty e também podem ser vistos em visitas guiadas. Um deles é a mesa de jacarandá que foi utilizada pela Princesa Isabel, em 1888, para assinar a Lei Áurea.

O Palácio Itamaraty também abriga documentos e murais que remetem a dois dos principais nomes da história da diplomacia brasileira: José Maria da Silva Paranhos Júnior, mais conhecido como Barão do Rio Branco, e Oswaldo Aranha. O primeiro consolidou as atuais fronteiras brasileiras, vencendo diplomaticamente disputas por territórios.

Amplo vão livre e a escadaria suspensa chamam a atenção

Amplo vão livre e a escadaria suspensa chamam a atenção

O segundo foi Ministro das Relações Exteriores no governo de Getúlio Vargas e se tornou Secretário-Geral da ONU, cargo máximo da entidade. Sua atuação foi fundamental para a criação do Estado de Israel (vejam vocês), em 1947.

O Palácio Itamaraty possui visitas guiadas, inclusive em inglês, de segunda a sexta-feira, às 14 horas e às 16h30. Aos sábados e domingos, os passeios internos ocorrem às 10 horas e às 15h30.

TEXTO E FOTOS: FÁBIO MENDES

Leia mais:

Dicas para se locomover em Brasília

Palácio da Alvorada

Congresso Nacional

 

4 thoughts on “Palácio Itamaraty abriga arte, história e uma rica tradição da República brasileira

    1. Fábio Mendes Post author

      O palácio é lindo e o acervo é muito interessante. Quem se interessa por história vai adorar!

    1. Fábio Mendes Post author

      Oi, Shirley, obrigado! 😀

      O Palácio é um dos mais bonitos de Brasília. Vale muito a pena conhecer! Beijos!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial