Congresso Nacional: faça um passeio e conheça melhor os corredores do poder

O prédio do Congresso Nacional intimida. E fascina

O prédio do Congresso Nacional intimida. E fascina

Não há como negar: o imponente e belíssimo prédio do Congresso Nacional Brasileiro fascina. Projetado por Oscar Niemeyer, ele reúne as sedes do Senado e da Câmara dos Deputados. É ali que se decide boa parte dos destinos brasileiros, tanto ou mais que no Palácio do Planalto, sede da presidência, ou no Supremo Tribunal Federal.

Ao longe, já somos impactados pelas torres do complexo e, ao nos aproximarmos, a impressão é ainda mais forte. Aumenta a curiosidade para entrarmos e conhecermos um pouco mais as entranhas do poder.

O Salão Negro é a entrada principal para o edifício e dali se tem uma bela vista da Esplanada dos Ministérios, mas o interessante está na parte de dentro. Logo à esquerda está o Salão Nobre, onde ocorre a recepção de convidados oficiais.

Neste mesmo local funciona o Museu Histórico Itamar Franco. O salão abriga fotos de todos os presidentes do Senado, desde a Independência até os dias de hoje. Há ainda objetos antigos que pertenceram aos palácios Conde dos Arcos e Monroe, antigas sedes dos senadores quando o Rio de Janeiro era a capital. É possível ver as antigas mesas, fabricadas em 1867, e microfones utilizados pelos parlamentares nos anos 40 e 50.  Destaca-se também o quadro de Gustavo Hastoy, que reproduz o momento da assinatura da Constituição de 1891, a primeira do período republicano.

Museu do Senado preserva a memória da antiga capital

Museu do Senado preserva a memória da antiga capital

Outro setor aberto a visitas é o Salão Verde, no setor da Câmara dos Deputados. Ali também há retratos com os presidentes da Casa e maquetes dos projetos de Lúcio Costa e Niemeyer. Um guia passa informações sobre a construção de Brasília e o funcionamento do Congresso. Para quem está interessado em “bastidores” vai curtir o entra e sai dos jornalistas e funcionários que ocorre nos corredores próximos.

Em algumas alas e corredores, é possível vislumbrar grandes obras de arte, como pinturas de Di Cavalcanti e Caribé, além de trabalhos produzidos por Maria Bonomi e Fayga Ostrower. Em vários andares, existem pequenas galerias e espaço para exposições provisórias e permanentes.

Para muitos, no entanto, o principal ponto a conhecer são os dois plenários. Tanto o da Câmara quanto o do Senado estão abertos para visitas, quando não há sessões. Em dias de votação, o acesso é permitido somente nas galerias, que é o espaço destinado à população.

Saiba mais

Plenário da Câmara dos Deputados

Plenário da Câmara dos Deputados

As visitas ocorrem diariamente, das 9 às 17 horas. Às terças e quartas-feiras, o atendimento é somente para quem fez agendamento. Grupos com mais de 15 pessoas devem marcar hora, para serem atendidos pelos guias.

O Museu Histórico Itamar Franco funciona de segunda a sexta, das 9 às 13 horas e das 14 às 18 horas. Nos finais de semana e feriados, das 9 às 18 horas.

Portadores de deficiência ou pessoas com dificuldade de locomoção também devem agendar sua visita com antecedência.

Fiquem atentos à indumentária: são vetados visitantes de shorts ou bermudas, camisetas regata, chinelos e minissaias. A exceção é para crianças de até 12 anos.

Telefones: (61) 3303-4671/1588 (de segunda a sexta)
(61) 3303-4410 (fins de semana e feriados)

TEXTO E FOTOS: FÁBIO MENDES

Leia Mais

Palácio da Alvorada

Palácio do itamaraty

Como se localizar em Brasília

6 thoughts on “Congresso Nacional: faça um passeio e conheça melhor os corredores do poder

    1. Fábio Mendes Post author

      O Palácio do Planalto não consegui visitar, mas dizem que é muito legal, também! A minha esposa visitou o Alvorada, que é a residência oficial do presidente da República.

    1. Fábio Mendes Post author

      É um lugar fascinante, Jéssica. É interessante passear por ali, onde os destinos do país são traçados.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial